Entendendo a Endometriose: Causas, Sintomas e Tratamentos

A endometriose é uma doença complexa e muitas vezes mal compreendida, que pode afetar significativamente a qualidade de vida de uma em cada dez mulheres em idade reprodutiva.

Neste blog, nós buscaremos lançar luz sobre a endometriose, descrição profunda de suas causas presumidas, os sintomas mais comuns e os mais recentes tratamentos disponíveis. 

Definição

A endometriose é uma condição de saúde que afeta milhões de mulheres em todo o mundo. Embora seja comum, muitas pessoas não entendem completamente o que é a endometriose ou como ela impacta a vida das mulheres.

Basicamente, a endometriose ocorre quando o tecido semelhante ao revestimento do útero (endométrio) cresce fora do útero, em outras partes do corpo. Esse crescimento anormal pode acontecer em várias áreas, incluindo os ovários, as trompas de Falópio e até mesmo na bexiga ou intestino.

Os sintomas da endometriose podem variar amplamente entre as mulheres. Alguns dos mais comuns incluem dor pélvica crônica, períodos menstruais intensos e problemas de fertilidade. No entanto, é importante notar que algumas mulheres com endometriose podem não apresentar sintomas perceptíveis.

Embora ainda haja muito a ser aprendido sobre as causas exatas da endometriose, sabe-se que fatores genéticos e hormonais desempenham um papel importante. O tratamento para a endometriose também varia dependendo da gravidade dos sintomas e dos planos futuros de gravidez da mulher.

Sintomas da Endometriose

Os sintomas da endometriose podem ser sutis e difíceis de identificar inicialmente. Muitas mulheres passam anos sem um diagnóstico adequado, sofrendo com dor crônica e desconforto.

Os sintomas mais comuns incluem dor pélvica intensa, especialmente durante a menstruação; desconforto ou dor durante o sexo; dificuldade para engravidar; fadiga crônica; e alterações intestinais ou urinárias durante o período menstrual.

É importante ressaltar que a presença ou gravidade dos sintomas não está necessariamente ligada à extensão da doença: algumas mulheres com endometriose leve podem experimentar sintomas graves, enquanto aquelas com casos mais avançados podem ter poucos ou nenhum sinal da doença.

Por isso é fundamental buscar orientação médica ao primeiro sinal de qualquer desconforto ou alteração na saúde feminina.

Diagnóstico e Tratamentos

O diagnóstico precoce e o tratamento adequado são fundamentais para controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida das pacientes.

Existem várias opções terapêuticas para tratar a endometriose, sendo as mais comuns a terapia hormonal e a cirurgia. A escolha do tratamento depende da gravidade dos sintomas, da idade da paciente, dos seus planos de engravidar no futuro e dos riscos associados a cada procedimento.

Os medicamentos hormonais são frequentemente utilizados para aliviar os sintomas da endometriose, diminuindo ou interrompendo temporariamente o ciclo menstrual. Entre eles estão os contraceptivos orais combinados, progestinas isoladas e análogos do GnRH.

Em casos mais graves ou quando a mulher deseja engravidar, pode ser necessário recorrer à cirurgia. Existem diferentes técnicas cirúrgicas para tratar a endometriose, como laparoscopia ou laparotomia. O objetivo é remover o máximo possível do tecido endometrial sem prejudicar os órgãos reprodutivos.

É importante lembrar que cada caso é único e requer uma abordagem personalizada. Por isso, é essencial discutir todas as opções disponíveis com um profissional de saúde qualificado antes de tomar qualquer decisão sobre o tratamento da endometriose.

Trans-resveratrol

Estudos indicam que a suplementação com trans-resveratrol pode reduzir a inflamação e impedir o crescimento de tecido endometrial fora do útero, aliviando assim os sintomas dessa condição.

Dentre as opções disponíveis no mercado para suplementação com trans-resveratrol, merece destaque nosso Resvitè®. Este produto se diferencia por sua formulação rica não apenas em trans-resveratrol, mas também em triptofano, totalmente livres de HPAAs.

Ômega-3

Pesquisas recentes sugerem que o ômega-3 pode ter um papel importante na gestão da endometriose. Ele é conhecido por suas propriedades anti-inflamatórias, o que pode ser especialmente útil para as mulheres com endometriose, pois esta é uma doença inflamatória crônica.

Além disso, estudos indicam que o ômega-3 pode ajudar a reduzir a produção de moléculas que promovem o crescimento das células da endometriose.

Dessa forma, incluir alimentos ricos em ômega-3 na dieta ou tomar suplementos desse nutriente pode ser uma estratégia eficaz para gerenciar os sintomas da endometriose e melhorar a qualidade de vida das pacientes.

O OmegaPure® possuí a maior concentração de ômega-3 purificado, além disso, possuí cápsulas gastrorresistentes, garantindo que a cápsula se desintegre somente no intestino, evitando sabor, odor e hálito de peixe.

Curcumina

Estudos mostram que a curcumina pode ajudar a reduzir a inflamação no corpo, limitando assim os sintomas da endometriose. Além disso, acredita-se que ela possa inibir o crescimento das células endometriais fora do útero – um aspecto-chave da doença.

Assim sendo, embora mais pesquisas sejam necessárias para confirmar esses achados preliminares, a inclusão da curcumina na dieta ou como suplemento pode ser uma estratégia promissora para as mulheres lidarem com os desafios impostos pela endometriose.

A suplementação com Curcuflex-Bio® possuí alta concentração de curcumina em cápsulas líquidas e conta com a praticidade no seu consumo de apenas uma cápsulas ao dia.

Bianca Giacomini - Nutricionista

Nutrição Esportiva e Emagrecimento

Bianca Giacomini

Nutricionista esportiva e clínica, com foco em promover o emagrecimento saudável, o rendimento no treino e a qualidade de vida. CRN3: 37982.

Gostou? Então compartilha!

Assine nossa newsletter

Rolar para cima