Colágeno: A Proteína da Juventude

O colágeno é a forma mais abundante de proteína no corpo humano, sendo encontrado principalmente na pele, cartilagens, ligamentos e tendões. É essencial para manter a estrutura, firmeza e elasticidade da pele, além de contribuir para a saúde das articulações, ossos e músculos.

Em suma, a produção natural diminui à medida que envelhecemos, e suplementos vêm se tornando cada vez mais populares entre aqueles que buscam manter uma aparência jovem e saudável. Neste blog, vamos abordar os tipos de colágeno, os benefícios para a saúde oferecidos por ele e como consumi-lo de forma segura e eficaz.

Definição

O colágeno, uma das joias escondidas do corpo humano, é a proteína que confere estrutura e sustentação à nossa pele, ossos, cartilagens e tendões. Embora seja mais conhecido por sua abundância nessas estruturas do corpo, ele se faz presente de maneira menos óbvia em nossos músculos, vasos sanguíneos, olhos e até nos dentes – formando uma incrível rede de interconexões.

Desempenha um papel crucial na constituição de 30% de todas as proteínas corporais e caracterizada por uma dança molecular intrigante: uma sequência de peptídeos expressa como (Gly-X-Y), onde Gly é a versátil glicina e X-Y são os parceiros confiáveis, prolina (Pro) e hidroxiprolina (Hyp).

Tipos de Suplementos de Colágeno e Funções

Delineando as várias formas de colágeno, podemos categorizá-los com base na diversidade dos seus respectivos complexos de peptídeos e a extensão de sua presença.

O colágeno tipo I, extraído de fonte bovina, suína, frango ou peixes, submete-se a um processo de hidrólise gerando peptídeos que são consumidos pelo corpo e transformados em aminoácidos livres.

Uma vez no sistema circulatório, esses peptídeos tendem a se gravitar em torno dos tecidos que mais necessitam deles. Isso explica por que o colágeno tipo I tem influência positiva na condição da pele e no fortalecimento de tendões, ligamentos e cartilagens.

Este processo é auxiliado pela contribuição única dos aminoácidos hidroxiprolina e hidroxilisina, que dão sustento à estrutura helicoidal triplicada do colágeno. Juntam-se a estas substâncias expressivas quantidades de prolina e glicina, aminoácidos que não são facilmente encontrados em outras fontes proteicas.

Já o colágeno tipo II tem suas raízes na estrutura esternal das galinhas e difere do tipo I ao permanecer intacto, sem hidrolisar para formar peptídeos. No entanto, é notável os benefícios para as articulações e tendões, devido à sua presença predominante na composição das cartilagens.

Estes tecidos conjuntivos asseguram flexibilidade e sustentação às articulações ósseas por serem responsáveis pela integralidade da resistência mecânica dessas estruturas, atribuída ao colágeno tipo II. Consumir colágeno deste tipo implica em desencadear uma resposta imunológica autônoma que interfere favoravelmente na saúde das articulações.

A forma intacta do colágeno tipo II dá início a uma reação em cadeia onde são estimuladas células-T com atividade anti-inflamatória diferenciada. Sua ingestão incita a produção dessas células no intestino, que por sua vez migram para regiões inflamadas produzindo citocinas anti-inflamatórias como a IL-10.

Benefícios

Mencionado na literatura científica a poderosa influência dos peptídeos de colágeno na salvaguarda da vitalidade da pele, cabelos e unhas, praticando uma reposição harmoniosa do indispensável colágeno estrutural.

Portanto, vale salientar a grande importância do processo de absorção para maximizar esta eficácia. A ingestão oral, por características de sua composição, impõe alguns obstáculos no processo digestivo quanto à quebra de sua estrutura e consequentemente na sua assimilação através da parede intestinal. Nesta dinâmica, em seu estado natural (não hidrolisado), perde em parte a sua funcionalidade como suplemento.

Adquiridos através de hidrólise/quebra meticulosa, os pepitídeos de colágeno assumem dimensões ideais prontamente absorvidos pelo nosso organismo. Diversos estudos vieram elucidar este mecanismo de absorção e distribuição dos peptídeos de colágeno corpóreo. Os benefícios desses peptídeos vão além dos cuidados estéticos – eles podem alcançar partes tão fundamentais quanto nossa pele, cartilagens, ossos e músculos, mantendo inertes nesses tecidos por até duas semanas após a ingestão.

Ainda assim, focando no imprescindível colágeno do tipo II (CT II), poucos são os que não reconhecem sua contribuição significativa para enfermidades como a osteoartrite e artrite reumatoide.

Dado o fato de que o CT II se configura como um dos ingredientes chaves do tecido cartilaginoso, compõe aproximadamente 95% do colágeno existente nesta facção; uma escassa disponibilidade desse composto nessa área pode exacerbar a condição dos pacientes com disfunções articulares, limitando assim o movimento fluido e alcance com a potencial perda funcional da junta.

Portanto, o CT II materializa-se como agente terapêutico potencializado, suavizando sinais e sintomas em condições inflamatórias articulares.

Consumo de Colágeno

Especificando o colágeno do Tipo II, à luz de recentes investigações, percebe-se que sua ingestão se torna uma tática pertinente em vários cenários clínicos. Um exemplo seria no caso da osteoartrite, que age amenizando a inflamação.

Da mesma forma, o colágeno hidrolisado do Tipo I emerge como uma intrigante alternativa para coadjuvar no processo de envelhecimento cutâneo. Ele exerce um papel destacado na manutenção da hidratação cutânea e mitigação do número e profundidade de poros.

Ingerir o colágeno em jejum pela manhã ou antes do repouso noturno, prevenindo o uso simultâneo com outras fontes proteicas durante as refeições.

É crucial ter em mente que a formação endógena de colágeno é um processo multifacetado que recorre a inúmeros micronutrientes.

Uma pessoa com déficit do referido nutriente, irá apresentar uma diminuição na síntese eficiente de colágeno. Em tais situações, é pouco provável que quaisquer suplementações sejam efetivas.

Em resumo, o colágeno é uma proteína essencial para o nosso organismo, capaz de conferir benefícios em várias áreas da saúde. É importante consumi-lo ao longo da vida, e para isso é necessário ficar atento às fontes de colágeno presentes na alimentação.

A Biobalance possui, em seu portfólio, uma solução que pode auxiliar na produção de colágeno. O Hialugen é ideal para a saúde das articulações, ossos e músculos. Possui componentes que, juntos, estimulam a produção do Colágeno: o Ácido Hialurônico e Magnésio, garantindo a renovação celular. Acesse o nosso site e saiba mais sobre o Hialugen!

Facebook
Twitter
WhatsApp

Usamos cookies pra melhorar a sua experiência aqui no site, ao continuar navegando, você concorda com nossa política de privacidade.