A vitamina D pode auxiliar na prevenção e tratamento do autismo?

O autismo ou transtorno do espectro autista (TEA) é um distúrbio caracterizado por déficits sociais, comunicativos e comportamentais. As manifestações clínicas englobam indiferença, rejeição da comunicação, retardo do desenvolvimento da linguagem e padrões comportamentais repetidos.

 A prevalência de TEA na década de 90 era inferior a 60 por 10000 pessoas, sendo que 30% dos indivíduos eram crianças. A incidência vem aumentando gradualmente e hoje a prevalência é de aproximadamente 90-250 por 10000 indivíduos.

Etiologia do autismo

Liyao et al (2020) relata que a etiologia do autismo ainda não é bem definida pela ciência. Sabe-se que está relacionada com fatores genéticos e ambientais. O fator hereditariedade parece ser dominante, por outro lado, a deficiência de vitamina D durante a gestação pode alterar o ambiente pré-natal.

O papel da vitamina D na função cerebral

A forma ativa da vitamina D é um esteroide com efeitos endócrinos e participa na síntese de fatores neurotróficos (biomoléculas que estimulam crescimento, sobrevivência e diferenciação dos neurônios em desenvolvimento e maduros) e no aumento dos níveis de glutationa, desempenhando papel na via de detoxificação cerebral.

 Além disso, a vitamina D se liga a mais de 2700 genes, regula a expressão de mais de 200 desses genes e é necessário para a regulação da serotonina.

Atuação da vitamina D na gestação e a relação com autismo

A vitamina D aumenta os níveis de estrogênio na placenta, sendo este vital para o desenvolvimento cerebral. Isso pode explicar por que homens têm quatro vezes maiores chances de desenvolver autismo do que mulheres.

Ademais, o nutriente atua na proliferação de células neuronais, diferenciação, neuroproteção, transmissão de neurotransmissores e neuroplasticidade no bebê.

Suplementação da vitamina D em indivíduos autistas

Algumas crianças com TEA podem ter outras patologias que possivelmente afetam a absorção de vitamina D, assim como sua ativação. Por isso, a suplementação adequada pode desempenhar papel benéfico e importante no desenvolvimento do sistema nervoso, auxiliando na melhora dos sintomas. Essa teoria é comprovada na meta-análise de Liyao et al (2020), onde os autores observaram melhora dos escores da Escala de Responsividade Social em 203 crianças autistas após suplementação de vitamina D.

 A VD3 Pure da Biobalance contém 2000UI de vitamina D3 – colecalciferol – em 1 cápsula.

\"\"
Referência

SONG, Liyao. Vitamin D Supplementation is Beneficial for Children with Autism Spectrum Disorder: A Meta-analysis. Clin Psychopharmacol Neurosci. China, v. 18, n. 2, p. 203-2123, 31 maio 2020. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7242097/. Acesso em: 11 mar. 2022.

Editoria Biobalance

Gostou? Então compartilha!

Assine nossa newsletter

Rolar para cima